Quando os ambientes de trabalho dão espaço aos anseios humanos.

Geral Operis 06/10/2017

Estamos em uma nova Era, e aos poucos percebemos alguns movimentos em diversas áreas que começam a vivenciar um maior interesse nos temas voltados às necessidades humanas com um conceito mais abrangente de comunidade e cultura. Nunca se falou tanto em bem-estar, seja físico ou psíquico e da busca por conforto. Essa tendência vem sendo mapeada por muitos estudos do comportamento humano que demonstram, por meios diversos,  que as pessoas cada vez mais consideram imprescindível  imprimir significado as suas escolhas. São essas percepções que estão nos levando a ter um olhar mais atento sobre nosso produto e sua relação de conforto e utilidade no ambiente de trabalho. 

Se pensarmos na transformação do novo escritório, com foco nesta mudança significativa de paradigmas, onde o bem-estar físico e psicológico dos colaboradores torna-se fator determinante para o sucesso das empresas, é chegado o momento de projetar o espaço de maneira mais holística. E como devemos pensar o novo espaço de trabalho?

Uma tarefa bastante difícil se considerarmos os diversos tipos de atividades a serem realizadas. Além disso, os mesmos colaboradores têm necessidades diferentes em momentos diferentes do dia. Há atividades que exigem silêncio e concentração, outras, movimento e ainda aquelas que precisam de foco e atenção. Para equalizar todas essas demandas contraditórias parece que a solução está naquele princípio budista e tão humano... Devemos optar pelo caminho do meio, ou seja, o equilíbrio. Equilíbrio é a chave para a concepção de um local de trabalho que seja inspirador, impulsione a troca de ideias, ofereça conforto e bem-estar para todos e, principalmente, estimule a criatividade. 

Quando pensamos no novo escritório e conseguimos decodificar a equação entre flexibilidade, autonomia e movimento, o ambiente de trabalho deixa de ser apenas um local para se ir e passa a ser um espaço de sinergia e produtividade.